Escuto no silêncio que há em mim e basta. Outro tempo começou pra mim agora...

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Frágil

Frágil – você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora... Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço. É tempo de me fazer, eu sei. Tenho medo de já ter perdido muito tempo. Tenho medo que seja cada vez mais difícil. Tenho medo de endurecer, de me fechar, de me encarapaçar dentro de uma solidão -escudo. Ando meio fatigado de procuras inúteis... Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo e ninguém suspeitar dos traumas, das quedas, dos medos, dos choros. Caio Fernando Abreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário